Com este grande “hype” no mundo de mineração de moedas como a Bitcoin, Ethereum, Litecoin, entre outras, as gráficas mais procuradas no momento para este tipo de tarefa são as AMD RX pelo seu custo em relação ao desempenho entregue neste tipo de actividade.

Para esse nicho de consumidores, a ASUS traz ao mercado dois produtos, a Mining RX 470, que como já referido, são chips produzidos pela AMD, e a Mining P106, equipada com um chip nVidia GP106, o mesmo presente na GTX 1060.

 

Qual a diferença?

Segundo o já avançado pela ASUS, ambas são construídas especificamente para a tarefa, tendo alterações nos seus clocks e estando preparadas 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano. Segundo informações oficiais, a nova Mining P106 têm um aproveitamento de 35% a mais comprado com uma versão normal.

Foi aqui implementada também uma tecnologia que promete reduzir a fricção no motor das ventoinhas, dispensado a utilização de lubrificantes, substituindo-os por rolamentos de duas esferas, que prometem resultados mais eficientes a curto e longo prazo.

Sistema de ventoinhas “Dual-Ball”

Além disso, encontramos aqui uma resistência adicional ás ventoinhas, a IP5X, certificada como resistência a poeiras. Assim, é possível evitar tantas manutenções e limpezas á placa, evitando perdas de tempo e dinheiro.

Por fim, as gráficas da linha Mining usam componentes Premium Super Alloy Power II que aumentam a eficiência de desempenho e de utilização de energia.

Ainda não existem previsões de chegada e preço a Portugal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here